domingo, 7 de junho de 2009

CASTIDADE O QUE DIZ A IGREJA?

“A castidade só pode ser pensada em associação com a virtude do amor. Sua função é libertar o amor da atitude utilitarista” (nota: Atitude utilitarista é aquela que vê a outra pessoa como algo a ser usado, ou seja, ela só é útil enquanto me traz prazer).
“Ser casto significa ter uma atitude ‘transparente’ com relação à pessoa do outro sexo – castidade significa só isso”.
“A castidade é muitas vezes confundida com uma inibição ‘cega’ da sensualidade e dos impulsos físicos, de tal modo que os valores do ‘corpo’ e do sexo são reprimidos para o subconsciente, onde esperam uma oportunidade para explodir. Obviamente essa é uma concepção errada da virtude da castidade, a qual, se praticada somente dessa forma, cria de fato o perigo de tais ‘explosões’. Essa visão errônea da castidade explica a dedução comum de que seria uma virtude puramente negativa. A castidade, segundo essa visão, seria apenas um grande ‘não’. Enquanto que, na verdade, ela é um grande ‘sim’ do qual certos ‘não’ derivam como consequência”.
“A essência da castidade consiste na rapidez em afirmar o valor da pessoa em toda situação, e em alçar ao nível pessoal todas as reações advindas do valor do ‘corpo e do sexo’. Isso requer um esforço espiritual interior especial, pois a afirmação do valor da pessoa só pode ser produto do espírito, mas esse esforço é, acima de tudo, positivo e criativamente ‘vindo de dentro’, e não negativo e destrutivo. Não é uma questão apenas de ‘aniquilar’ sumariamente o valor do ‘corpo e do sexo’ na mente consciente reprimindo suas reações para o subconsciente, mas sim de uma integração sustentável em longo prazo; o valor do ‘corpo e do sexo’ deve se basear e estar implantado no valor da pessoa”.
“Apenas o homem casto e a mulher casta são capazes de amar verdadeiramente. Pois a castidade libera seu encontro, incluindo seu intercurso conjugal, daquela tendência de usar a outra pessoa”.
“... a castidade é uma conquista difícil, de longo prazo; deve-se esperar pacientemente para que dê seu fruto, pela ternura amorosa que deve trazer. Mas, ao mesmo tempo, a castidade é o caminho certo para a felicidade”.
__________________________________________

Karol Wojtyla (Papa João Paulo II), no livro “Amor e Responsabilidade” p. 169 a 172, edição em inglês.


E AINDA TEM GENTE DIZENDO POR AI QUE : CASTIDADE VOLTA À MODA ENTRE JOVENS!
http://www.dmdigital.com.br/index2.php?edicao=7882
SÓ "ESQUECE DE DIZER ANTES QUE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA DESDE SEMPRE PREGOU ISSO!!! É BRINCADEIRA NÉ!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!