sábado, 12 de fevereiro de 2011

O povo não deixou de confessar, fomos nós que fechamos os confessionários.

CONSELHO DE PADRE

De modo geral os católicos romperam com seus sacerdotes,ou vice versa.Houve uma quebra de confiança que será dificil recuperar.Aquele fiel que ia pedir a benção ou conselhos do padre está cada dia mais raro.O que critica está em alta. Culpa nossa , culpa de um punhado de circunstancias,mas precípuamente, culpa do abandono da confissãoe  da direção espiritual.
Quando nós padres deixaram de lado o confessionário por outras práticas pastorais , quando se deixou de dar mais tempo para o fiel que desejava DESABAFAR, perdeu-se a idéia de  * * * *  *
sacerdote padre (pai) em troca da ideia de sacerdote líder.No ideário das pessoas, cultas ou simples que sejam,há um tipo de pai espiritual a quem a gente abre o coração e há um tipo de líder com quem a gente briga ,luta e até bebe cerveja , mas a quem a gente não pede conselhos nem ouve porque ele sabe tanto ,erra tanto ou está tão confuso quanto nós mesmos.
Se em algumas circunstâncias a mudança de perfil do sacerdote católico foi de grande valia, nessa não foi.A palavra do padre deixou de ter o peso que tinha. E coincide com uma enorme necessidade de confissão neste fim de século que massacra indivíduos e grupos inteiros.De conseqüência os profissionais ou os curiosos de aconselhamento lá fora aumentaram na proporção de 1 para 200: psicólogos, pedagogos,videntes , pais de santo,pedras, búzios, tarô,horóscopo ,animadores de televisão,revistas e jornais.Há sempre alguém pedindo conselho e dando conselho.Mais : há sempre alguém confessando seus pecados no radio, na televisão e nas revistas .Fiz isso, mais isso , mais aquilo e não me arrependo ; fiz mas me arrependo. Mexi com isso,mas agora estou fora..Ele não me quer mais, o que faço ?... E há o convertido que vai lá dar testemunho de que foi salvo e para ajudar o outro, revela o seu pecado. O mundo continua se confessando , só que fora do confessionário.
Uma Igreja que prepara seus sacerdotes por anos e anos para serem conselheiros e amigos,e lhes dá uma bagagem razoável, descobre que o seus fieis não mais se confessam nem consultam seus padres sobre assuntos vitais.Mas ouvem o médico, o psicólogo, a vizinha , o artista,a cantora, a animadora de televisão ..A opinião da Igreja deixou de ser importante para eles.Em parte por causa da nossa fraqueza de padres ,porque levamos esse tesouro em frágeis vasos de barro 2 Cor 4,7 e muita gente já não confia em nós ; em parte porque sem horários para a confissão e sem direção espiritual fecharam-se canais importantes para muitas conversões . Que se restitua às paróquias e mosteiros o sadio hábito da confissão, é claro, com as conquistas da pedagogia e da psicologia. O povo não deixou e se confessar: inclusive os sem fé. Que o padre,também ele pecador,revalorize este sacramento. O povo certamente voltará. Não foi o povo que foi embora:fomos nós que fechamos os confessionários.

Fonte: www.padrezezinhoscj.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!