sábado, 5 de março de 2011

A Santíssima Virgem

Mãe da Minha Piedade

Mãe da minha piedade – Quanta necessidade tenho da graça e quão débil sou por mim mesmo, a que alto grau de humildade me chama Deus e quão longe estou dele. Quando uno a Ele vejo sua altura, e sinto em mim extrema debilidade, e consolo em sentir nas mãos de Deus que jamais nos abandona e que nos ajuda sem cessar. Consola entrega-me sem medidas nos braços da Divina Providência, que pelas obras de seu beneplácito vem vivificar nossa morte, fortalecer nossa debilidade, animar nossa covardia e exaltar nossa humildade. Consola também, ver nos mais altos grau de santidade uma Mãe incomparável, que vem a mim sustentar-me com sua mão, para alentar-me com seu coração e para dirigi-me com seu olhar. Maria está    *************
muito perto de Deus, rainha da humildade, Mãe da divina graça, Mãe de Deus e minha mãe. Inclina-se perto de mim para falar-me: eu sou a mãe do bonito amor, do temor e da ciência, e manifestar com palavras a piedade, por estas três coisas sou a piedade. Eu sou também a Mãe da santa esperança, por que a piedade que em minha qualidade de mãe formou, alimenta vocês na terra, não terá sua expansão plena senão no céu: aqui embaixo o treinamento, lá em cima a alegria. Sou vossa mãe para o tempo e para eternidade; tenho para vós, todas as graças, as do início e as do fim; Em mim estão todas as esperanças, as da vida lá de cima e das forças daqui debaixo para chegar ao céu. Venha, pois, todos os que suspiram por mim; venha e sacia de mim doces frutos. Meu espírito, que os dará vida, é mais doce que o mel e mais suave que o favo de mel da minha herança a qual os conduzirá (Eclesiastes 24,24).

Tradução: Wander Venerio Cardoso de Freitas. (Licenciado em Letras e Bacharel em Teologia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!