sábado, 9 de junho de 2012

Vencendo a Ociosidade e o Desânimo




Minha alma adormeceu de tédio;
fortifica-me com as Tuas palavras (Salmo 118:28).
 

Todo homem instintivamente é atraído pela alegria, felicidade e pelo que é agradável. A sensação de alegria injeta no homem disposição e otimismo, enquanto que a falta dela faz sua vida cinzenta, sombria, sem sentido. Pela graça de Deus, muitas coisas no mundo trazem alegria ao homem. Desde o início do seu surgimento na Terra, o homem se alegra com coisas e fenômenos tais como: comida e bebida agradável, o ar fresco, a luz solar, a beleza da natureza, contato com pessoas próximas e queridas. À medida que o homem vai se desenvolvendo, encontra novas fontes de alegria numa compreensão mais profunda do mundo e da coerência de suas leis, na arte, música e poesia. A capacidade do distinguir o agradável do desagradável, tem um enorme significado no seu desenvolvimento físico e psíquico. No entanto, muito cedo o homem  .....
se convence que somente objetos físicos e estéticos não podem satisfazê-lo plenamente, porque sente dentro de si necessidades espirituais. Essas necessidades espirituais se manifestam pela atração inconsciente e interna pelo bem, pela perfeição moral e pelo contato com Deus. Essas atrações criam nele uma sede ou fome espiritual. Caso o homem não dê importância a esta sede de sua alma, esta aumenta com o tempo e passa a ser um sentimento de vazio interior, de insatisfação e desânimo. Jamais o homem teve ao seu dispor tantos e tão variados entretenimentos, como neste século XX. A vida está repleta de teatros, filmes, diversos objetos de diversão musical e eletrônica, competições esportivas, livros, jornais e revistas das mais variadas, etc ... Aparentemente o homem atual deveria ser muito mais feliz que os seus antepassados. No entanto ocorre o inverso. O homem atual freqüentemente sente-se profundamente infeliz, mais infeliz do que foram seus pais e avós. O que nos leva a acreditar nisto, é o fato de que nunca antes na história da humanidade houve tamanho abuso de diversas drogas tais como: fumo, álcool, narcóticos, uso de drogas excitantes ou calmantes; apresentando um caráter de epidemia. Além disso, sabe-se que uma porcentagem significativa dos habitantes de cidades grandes sofrem de diversas doenças psíquicas, que nem mesmo os melhores psiquiatras são capazes de curar. Essa alta incidência de doenças psíquicas, só pode ser explicada pelo desequilíbrio da complexa natureza humana: por um lado excesso de divertimentos externos e por outro, um enorme vazio espiritual. Essas observações tristes da realidade, levam à conclusão, que é absolutamente necessário ao homem moderno, entender a causa do resultado da crise espiritual que se criou, e que ele deve em particular prestar atenção às suas necessidades espirituais. O homem compreendendo que é necessário restabelecer o equilíbrio entre as necessidades físicas e espirituais, vai por sua vez, como que dar um empurrão para o início da sua vida espiritual. A vida espiritual, como todo processo interior, requer uma certa disciplina e sacrifício. Mas é através desse sacrifício e disciplina que nós alcançamos a paz e a alegria espiritual. Claro que nem todo sacrifício é benéfico, mas somente aquele que nos é mostrado pelo próprio Criador e nosso Salvador; aquele sacrifício que está descrito no Evangelho e que se concretiza na Igreja. Deus deu à Igreja tudo que nossa alma deseja: graça e verdade. Por isso participando da vida Dela, obtemos a satisfação dos nossos anseios mais nobres e elevados. Bem aventurados somos nós, se tivermos a capacidade de entender isso e modificarmos a nossa vida de acordo!

Fonte:http://www.fatheralexander.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!