sábado, 31 de outubro de 2009



É SÓ DESSE JEITO QUE SE DEVE REZAR?


Muitos cristãos já pensaram um dia que suas preces estavam fracas, sem frutos, ou, que não alcançaram grande eficácia por causa do tipo de oração utilizada. Tempos atrás, eu acreditava que rezar ou orar era apenas e tão somente realizar mecânica e repetidamente algumas orações já criadas. Não quero nessa colocação banalizar, inferiorizar e nem tão pouco “diminuir” o valor eficaz das “recitações prontas”. Essas orações, rezadas de forma adequada e com devoção desempenham uma grande ação espiritual na vida de qualquer pessoa.
Existem outros modos de rezar? É claro que existe, primeiro é preciso que reconstruamos nossos conceitos de rezar, sem descartar os outros métodos já utilizados. E como fazer isso? A regra básica é: ser convencido que nossas vidas devam ser uma constante oração. Sim! Nossas vidas, nossas experiências humanas, nosso falar, nosso olhar, nosso agir, nosso andar, nosso vestir, nosso alimentar, enfim, tudo aquilo que engloba nossa vida em sociedade deve ser uma constante oração. Sabemos que tal proposta não é nada fácil, mas, o que é fácil? Novamente digo, que para realizar essa tarefa, será preciso tomar consciência de ser a própria “Oração Ambulante”, sem é claro abandonar os outros métodos de orações que nos foram deixadas por aqueles (as) que foram Grandes Mestres na oração, pois elas, nos ajudarão nessa “nova” realidade proposta.
Você já pensou alguma vez em fazer de sua profissão uma oração? Independente de qual seja sua ocupação profissional, você deveria experimentar tal realidade. Não estou querendo dizer que você terá que convocar seus colegas de serviço, fazer um círculo e de mãos dadas rezar, não! Não é nada disso, o foco aqui é outro, é individual. Claro, nada impede se for costume na empresa que você trabalha, realizar momentos de oração com os funcionários, faz bem, não tem nada de mal. A questão tratada aqui é: você tem que tentar fazer de sua profissão, de modo místico, sua oração.
Se você leva diariamente sua esposa ao trabalho, você motorista, deveria fazer do caminho, do seu carro, da sua habilidade no trânsito uma oração. Pois, todo conjunto citado tem um fim, que é chegar ao trabalho da esposa. Independente de quem for (esposo / esposa) o trabalho é o meio que Deus providência todas as necessidades pessoais, tais como: alimentação, moradia, vestimenta, diversão, etc. E é percorrendo diariamente o caminho (as ruas) que chegaremos ao trabalho. Logo, por que não fazer do Caminho também uma oração? Pois é pelo caminho que se chega ao trabalho, que é o fruto de várias bênçãos que Deus nos cumula, então, por que não fazer do trabalho uma oração? Esses exemplos são apenas modelos de que podemos fazer de nossas vidas uma oração, mas, existem vários outros.
Portanto, realizar orações com a vida vai além do conceito de ser “forte” ou “fraca”. Rezar é mais do que sentir ou não sentir, estar alegre ou triste, receber ou não receber tal pedido. Rezar é fazer-se um com Deus, não importa o que estamos sentindo, é preciso buscar diariamente uma íntima experiência com Deus Trindade, que será refletida em nossas totais realidades humanas e ai sim, seremos transformados em verdadeiros orantes.


Por: Wander Venerio e Cristiane Deanhaiha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!