segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

CONVERTEDORES DE GENTE

Pensar e falar > Passei por esta experiência no último Natal. Orei por um amigo meu e disse a Deus, nas minhas preces, nem sempre bem feitas, sabendo que ele não estava nada bem de saúde, que lhe desse um natal sem dor, sereno e tranquilo com sua família. Desejei e orei, mas não o disse a ele. Amigo que somos, ele me perguntou se eu não iria desejar um Feliz Natal. Eu repliquei que já falara com Deus, pedindo por ele o melhor dos Natais. Ironicamente disse ele: – “Mas não falou comigo!” Palavras certas > Os enfermos precisam de palavras certas e boas. Pedi desculpas e desejei,  . . . .
com as melhores palavras que eu podia achar, um Natal sem dor, tranquilo e sereno e uma recuperação mais do que rápida, para o bem da sua família e dos seus funcionários.
Filosoficamente acrescentei que o Natal é festa do nascimento de quem tudo pode. Se cremos que Deus existe e que esteve entre nós, estamos a dizer que o Deus eterno que vive desde sempre o seu projeto divino veio viver conosco um pouco do trajeto humano, assumindo a condição de filho no tempo.
Fragilidade> Ele que tudo pode nasceu na fragilidade . Não é que Deus tinha que experimentar a natureza humana para nos entender. Nós é que precisamos dessa fé para sairmos de nossa prisão de medo e de tragédia. Houve um antes e haverá um depois. Quem transcende ao tempo veio mostrar a nós, do tempo e presos ao espaço, que fomos feitos para continuar. Haja o que houver, as coisas não terminam num caixão.
Falar a quem sofre > Ele meneou a cabeça e disse que iria pensar nas minhas palavras. Tinha fé e cooperaria com a ciência oferecendo sua consciência. Na verdade, concluí que estava certo ao orar a quem pode, mas errado ao não falar a quem sofre. Eu deveria ter dito a ele o que eu disse a Deus.
Sai de lá pensando que os votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo que há séculos se escreve nos cartões de Natal, os de feliz aniversario, ou feliz viagem são importantes. Talvez não faça diferença para os fatos, mas faz para as pessoas ouvir uma palavra verdadeira. Faz bem ouvir palavras boas e não fingidas. Desejar de coração que alguém se recupere faz bem ao sofredor.
É uma das maneiras de ser solidário. Desejemos e falemos! Foi para isso que se criaram os votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Não custa nada dizermos. Se a pessoa do outro lado de lá não responde, já é problema dela. Da nossa parte, o que deveria ser dito, foi dito.
Pe. Zezinho scj

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar!